DEUS faz quando quer o que ninguém pode fazer, para que até incrédulo possa crer

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)

Meu pai é Artur Maurício Machoqueira

e minha mãe Arminda Marques Luis

e na Terra Preta, Montargil, Portugal quis

Deus(a) que eu nascesse, não na Machoqueira.

Terra preta, terra de horta,

muito trabalharam meus pais

para me livrarem de seus ais,

eu não ficar com coluna torta.

Por causa dos estudos à guerra não

fui e se da enxada me livrei

do Ministério da Agricultura não,

onde muito tempo a «servir» fiquei.

Pregador fui, pregador não sou, eterno

estudante sou. Meu pai, terno,

me dizia até que meu pensar

era só estudar! Mas gosto de cozinhar!

Casei, tenho um filho, nora e netas,

Sou vegetariano, fui operado ao coração,

Não faço milagres, creio em Deus(a)

PAIMÃE com toda a devoção!

Não creio em sacrifícios,

creio no carma e na reencarnação,

creio até que posso ter sido rei,

cigana de grande bailação!

E agora sou isto: um teu igual,

Um milagre de Deus(a), pais, cirurgião

Arruda Pereira, eu, Dr. Paulo de Setúbal...

Que sabe o que é o pecado original.

 

Boa leitura!

 

Escritor Joaquim Marques Machoqueira é um prazer contarmos com a sua participação na revista Divulga Escritor. Conte-nos, o que o motivou a ter gosto pela arte de escrever?

Joaquim Machoqueira -    Prazer meu também. Apesar de letras, palavras serem mais do que sua escrita, são pelo menos também som, poder e vida, escrita existe, vê-se. Há vários alfabetos e há quem diga que existem três mais sagrados: o sânscrito, o grego e o hebraico. Gostar da escrita é gostar portanto da palavra mais concreta. Se é que vista é mais concreta do que som e do que Deus. E arte, beleza não é sem utilidade, sem completude. Gosto portanto de escrever porque aprendi/me ensinaram a escrever.

 

Em que momento se sentiu preparado para publicar o seu primeiro livro solo?

Joaquim Machoqueira -    O primeiro livro que publiquei: “contributo para a Monografia de Montargil” foi de facto em co-autoria. E não estava totalmente preparado: lembro-me de ter pedido ao padre Francisco Bento para transcrever para português atual um texto antigo que era mais latim do que português. Se só fizéssemos algo, a sós ou acompanhados, quando estivéssemos totalmente preparados, não fazíamos nada.

 

Em 2018, você publicou três livros. Apresente –nos as obras publicadas.

Imortalidade – Constituído por 96 itens, o presente livro, com o título Imortalidade, na sua maior parte em verso, debruça-se não propriamente sobre a imortalidade no sentido do não esquecimento, da grande durabilidade histórica de  nomes, vidas e obras mas no sentido da longevidade.
Assim, começa com uma identificação/ligeira preocupação com o tempo eterno, seguindo-se-lhe a primeira das várias e repetidas referências à respiração profunda, prática taoísta ancestral tão benfazeja da saúde como da longevidade.
Aborda a interdependência: ou nos tornamos - todos os seres - imortais, ou continuarão a ser pouquíssimos os imortais, se é que há algum(a).
Faz também referência à Internet, esse incrível instrumento de divulgação da verdade, de comunicação, de ensino, de orientação.
A ideia/prática da plenitude e da atenção, distinta da não menos importante concentração  estando também muito presentes. Assim como a do Zazen, o sentar à maneira de Buda, sem pensar, acompanhando a respiração mais ou menos profunda.
Também fala por duas ou três vezes de política para lembrar que os honestos não a podem abandonar, de tão importante que é, às mãos dos desonestos, mentirosos e mal intencionados.
O fazer sofrer injustamente, seja qual for o ser, é apontado como a causa do sofrimento. Referindo como causa da morte física a morte espiritual, a desidentificação com Deus, a Totalidade. E logo, como causa da Longevidade a sempre crescente identificação com Deus(a), a Verdade, a Totalidade.
A Ideia/prática da Justiça é apontada como fundamental. Solução não está no amor|compaixão incondicionais, contrários à correcção, ao aperfeiçoamento.
Sexo dá vida física e pode matar. Muito dificilmente, defende o livro, um(a) abusador(a) do sexo, grande desperdiçador(a) de energia, cujo benefício, se é que o tem, em nada compensa o prejuízo, terá vida longa !
Esforço a mais, sacrifício a mais, dualidade (divisão), tensão, obsessões, dificuldade em viver o momento, medo, de ser feliz ou da dor, imprudência, agressividade, demasiada ambição, estupidez, que é falta de atenção, nenhuma ambição também sendo referidos como muito prejudiciais à saúde, à longevidade, à imortalidade…

 

Não dualismo – Se este Livro levasse outro título seria: Espírito(a). Porque mundo perdido é mundo sem ou com muito pouco Espírito(a). Espírito com (a) porque Espírito(a) também é Deus-Deusa que é Tudo, Totalidade com excepção do mal. Porque salvação vem! É Agora!

E volta, à semelhança do livro: IMORTALIDADE, também da Artelogy, com mais clareza, aos magnos assuntos: da verdadeira Respiração profunda, serena porque é através da Respiração que podemos e devemos não só inconsciente mas acima de tudo conscientemente, não fraquinha, dualisticamente, ligar-nos à força vital superior divina curativa, Prana (Índia), Pneuma (Grécia), Lung (Tibete), Baraka (Islão), Ruah (Israel) e Chi/ki (China); e, do pecado, maldade original e seus derivados, os vícios e de como nos vermos livres deles(as) de uma vez por todas voltando ao paraíso/nirvana.

Fala da(o):

- Não necessidade da dor, do sofrimento: basta, no seu lugar, um menor bem estar… quanto bastar!

- Possibilidade do Bem, do Bom, do Nirvana/Paraíso mesmo quando não está/não parece estar tudo Bem.

- Vero ganhar; grande realidade Espírito(a) de que corpos, matéria é sombra!; carma; perfeição; Absoluto(a); reencarnação;  equilíbrio; momento, Agora; confiança e  humildade; devoção; sonho; reciprocidade; UNIDADE com o(a) verdadeiro(a), imutável, original DEUS(a), o vero não-dualismo;  igualdade; grande atenção/concentração;  não medo; genuíno; imparcial; liberdade; eternidade momento; sermos nós próprios; cooperação; respeito; beleza; perfeição; vera iluminação experimental; do sentido e do não sentido; compatibilidade; não fixação; não apego; não saudade, não esperança…

É:

- Originalidade e repetição (tudo é novo e repetido a cada momento!); milagre; simplicidade (lei resume-se nisto: não fazermos nem deixarmos sofrer injustamente nenhum ser, ajudarmos todos os seres a salvarem-se); VERDADE: DEUS(A) É NÃO SÓ A BOA TOTALIDADE, COMO INDIVIDUALIDADE!; não dualismo (Bem vence sempre o mal)!; Graça; Kundalini; comunicação; cura, preocupação quanto basta; zazen; mente/corpo; lapidação; não competição; intemporalidade; aprendizagem; não idealismo; repentismo quanto basta; silêncio; prosa, poesia; presença; coerência…

 

Deus(A) – DEUS(A) BOA TOTALIDADE INDIVIDUALIDADE

ACIMA E FORA DELA: SENHOR(A), CRIADO(A),

CRIADOR(A), JUIZ(A), (NÃO)JULGADO(A)!

DEUS(A) VIDA, DOADOR(A) DA VIDA, TIRADORA, TIRADOR DE VIDA… DEUS(A) COMPAIXÃO!

SENHOR(A) RE-CRIADOR(A),

CORRETOR(A), TODO(A) PODEROSA(O),

TODO FORMOSA(O),

UM(A) FINITA,O INFINITO(A) COM CRIAÇÃO!

DEUS(A) INSTANTE; NÃO MIRABOLANTE, O INCRÍVEL, INAUDITO EVENTO; RESPIRAÇÃO PROFUNDA; SERENA DE GIGANTE! Meditação!

DEUS(A) RAINHA PRESIDENTE REI MENINA(O)

PRESIDENTA MAGA(O) PRESENTE SORRIDENTE

NÃO TENTADOR, LIBERTADOR(A), NÃO TENTADORA.

E OMNISCIENTE. EVENTUALMENTE AUSENTE.

UNIGÉNITO(A) DEUS,A MENINA(O) NÃO GULOSO(A),  PORTUGUÊS(A), APÁTRIDA, JUDAICA(O), INDIANO(A), CIGANA(O), ALEMÃ(O), VEGETARIANO(A), MUI PRECOCE, BRASILEIRA(O), EXTRA-TERRESTRE, SEBASTIÃO/SEBASTI-ANA, CHINES(A), MANUEL(A), KRISHNA, BUDA, REENCARNAÇÃO OU… NÃO…

S(A), SUA DIVINDADE CONSISTINDO EM LEÃO/LEOA ATENÇÃO

CORDEIRA CORDEIRO PASTOR(A) JUIZ, JUIZA, PRUDÊNCIA,

MÚSICO(A), POETA, POETISA, MUSA, NÃO DOR, FELICIDADE

SANTA, SANTO… DEUS(A) MESMO… SER.

 

Em 2019, publicou “Milagres”. O que o inspirou a escrever está obra literária?

Joaquim Machoqueira -    Vem naturalmente na sequência (alguma coisa não vem na sequência?) do livro anterior: Deus(a). Milagres sendo a obra de Deus(a)s...

 

Apresente-nos o livro

Joaquim Machoqueira -   

       DEUS(A) faz quando quer

       o que ninguém pode fazer

       para que até incrédulo(a)

       possa bendizê-LA(O), crer !

 

Adiante-nos alguns destaques do sumário.

Joaquim Machoqueira -   

       Três extratos:

       “Nunca tanto ego falou,

       Escreveu, mostrou…

       Tanta banalidade, parcilaidade,

       Mentira, não Divindade!

      “Deus, Deusa toda(o) poderoso(a),

      incriado(a)! Aqui, como pessoas sentadas

      Participamos de Deus(a) maravilhadas

      Sem palavra, desajeitadas!”

      “MEMÓRIAS MARCANTES

       Certa vez fomos, no Sertão Brasileiro, Santa Luzia, só os portugueses, nora Renata estava a trabalhar, só os dois portugueses e a portuguesa, mãe, pai e filho… ver uma pequena Cachoeira. Apesar de não ser época das chuvas tinha sua beleza.

       Saindo do leito do Rio, entrando um pouco no Mato, comecei de repente a ter uma grande sensação de insegurança, de perigo. Pensei, imediatamente me retirando e avisando: cascavel perto!

       Já de regresso, na beira duma estrada de terra um lagarto enorme vimos.

      Dum modo geral tudo sendo grande no Brasil!

 

Qual a mensagem que deseja transmitir ao leitor por meio da leitura desta obra literária?

Joaquim Machoqueira -   A mensagem básica é: conhecendo e crendo e obedecendo à verdade  Deus(a)s, יְהוַה אֱלׂהִם , IÉVÁ ÉLÓIM, de Génesis um e dois ou do Hinduismo de Paramahansa Yogananda (ver sua Autobiografia de um Iogue), ou de Buda... Deus(a)s experimentamos. Por vezes bem extraordinariamente.

 

Onde podemos comprar os seus livros?

Joaquim Machoqueira -    IMORTALIDADE: https://www.artelogy.com/pt/store/joaquim-machoqueira-imortalidade

       NÃO DUALISMO : https://www.artelogy.com/pt/store/joaquim-machoqueira-n%C3%A3o-dualismo

       DEUS(A): https://www.artelogy.com/pt/store/joaquim-machoqueira-deusa

       MILAGRES: https://www.chiadobooks.com/livraria/milagres

 

Quais os seus principais objetivos, a serem alcançados, como escritor?

Joaquim Machoqueira -    A uma senhora que me diz: escreva “coisas bonitas”, costumo acrescentar: “e úteis”. No momento estou escrevendo menos em português e estudando mais  hebraico, a língua das línguas, a língua (שָפָה) de  אֱלׂהִם. Escrever cada vez mais e melhor em hebraico sendo, mais uma vez naturalmente, o objetivo.

 

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor Joaquim Marques Machoqueira. Agradecemos sua participação na Revista Divulga Escritor. Que mensagem você deixa para nossos leitores?

Joaquim Machoqueira - A Revista Divulga Escritor e quem a lê e suporta são muito meritórios. Estou-vos muito grato. E a propósito: já vistes meu novo livro, só ebook:  אֱלׂהִם/ÉLÓIM, em: https://www.amazon.com/gp/product/B07XQH9991?pf_rd_p=2d1ab404-3b11-4c97-b3db-48081e145e35&pf_rd_r=GNH4S8MH9ZKQV43GQ6TC

 

Divulga Escritor, unindo você ao mundo através da Literatura

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

linkedin

Em destaque

logo com o ISSN

Recanto da Lusofonia logomarca

Editoras - Portugal

Editoras - Brasil

 

 

 

 Renova Livro carto

 

 

Portal Literário - Um Mundo literário ao seu alcance

 

Autor parceiro
Tito Mellão Laraya

 Imagem Tito Laraya