Em Portugal cidade de Évora é destaque em Sonhar com Força do autor José Manuel Ferreira Roque

José Manuel Ferreira Roque nasceu em 1954, é natural da cidade de Évora – Portugal, onde reside. Possui Mestrado em Sociologia na variante Poder e Sistemas Políticos.

Lecionou no Ensino Básico, Secundário e Universitário como Assistente Convidado, exerceu funções em organismo afeto ao Ministério da Justiça, publicou, em 2011, CRIME E PERDÃO (Pseudônimo: Manuel Equor) e em 2015, SONHAR COM FORÇA. No prelo tem CASA DAS PENAS, uma narrativa sobre o mundo carcerário.

“Por meio da narrativa chega-se à cidade de Évora, na região do Alentejo, com dias de verão com “sol para todos ao preço da chuva”. É uma cidade histórica que foi antigo centro religioso e militar. Os seus monumentos testemunham o seu passado.”

Boa Leitura!

 

Escritor José Manuel Ferreira Roque, é um prazer contarmos com a sua participação na Revista Divulga Escritor. Conte-nos o que mais o encanta na arte literária?

José Roque - É também para mim um prazer participar, deste modo, na Revista Divulga Escritor. É de enaltecer o vosso contributo valioso na aproximação entre quem escreve e quem lê através da divulgação promovida por via desta publicação.

Passando às questões que me coloca, o que mais me encanta na arte literária é experienciar a magia da palavra, da arquitetura do texto, da transformação do deserto da página em branco num mundo povoado de coisas e pessoas, relações, pensamentos e credos, derrotas e triunfos, com uma dinâmica em que tudo acontece, e mesmo que não acontecesse, é acontecimento… Enfim, tudo é possível ou se teima para que o seja, na magia da transformação da página em branco que é “espaço” de criação e de liberdade, de prazer e sofrimento que põe à prova um desejo de superação. Alcançar com o texto um qualquer destinatário, suscitá-lo na sua compreensão e sensibilidade, é ainda arrojo que encanta na arte literária. 

 

O que o inspirou a escrever “Sonhar com Força”?

José Roque - O pendão político no texto permanece do princípio ao fim ainda que seja caraterística em que o texto não se esgota. Foi a situação política em Portugal, a crise financeira, económica e social sobretudo entre 2010 e 2015 que transnudou para o plano de fundo da narrativa e lhe comunicou o que nela aparece de cáustico, acutilante, invectivo. A vivência da crise e da política localizada num dado mosaico do conjunto, que faz o país retalho onde se situa a narrativa, as personagens do próprio local tomado como cenário natural, a relação de proximidade e a familiaridade de longa duração estabelecida com o meio e as pessoas prestando-se à transfiguração própria da ficção, acaba por integrá-la ou servi-la como fonte de inspiração. Merecem destaque como fluxo inspirador na inseminação e construção narrativa, a figura, o modo de estar e o que se comenta da vida de um sem-abrigo que vive na cidade que serve de cenário. Este personagem real passa para o texto para nele assumir o papel principal e triunfar como herói da narrativa.

 

Como foi a escolha do título?

José Roque - O título remete para a ideia de projeto a inscrever num futuro qualquer. O que acresce ao “sonhar” na expressão “com força” remete para um sonhar com querer, ousadia, intrepidez. No livro, este título comporta um desejo de requalificação do presente para um fututo melhor. Mas desejo que é necessidade e, até, de certa exigência.

Oscar Niemeyer, grande arquiteto com escrita grandiosa de concreto armado, é eloquente exemplo de alguém com capacidade de sonhar e de dar volume na realização do que antes sonhou. “Sonhar com Força” é título que veio de Niemeyer. Presta-lhe tributo com o título e as referências que lhe fazem narrativa.

 

Com relação à localização geográfica, conte-nos quais locais iremos conhecer ao ler “Sonhar com Força”?

José Roque - Ao ler “Sonhar com Força” o leitor está de visita à cidade em que ele acontece. O visitante à cidade encontra também facilmente nela fragmentos da narrativa. Por meio da narrativa chega-se à cidade de Évora, na região do Alentejo, com dias de verão com “sol para todos ao preço da chuva”. É uma cidade histórica que foi antigo centro religioso e militar. Os seus monumentos testemunham o seu passado. O leitor é transportado para uma realidade física, mas também humana. Encontra praças, jardins, ruas e travessas em parte rodeadas por muralhas. […] vai descobrir na toponímia nomes de personagens da narrativa [...] experimentar saltos altos na calçada […] ouvir as horas das igrejas e confirmar a paralisia do relógio no edifício camarário […] sentar-se numa esplanada e discretamente dar migalhas aos pombos […] falar com alguns residentes e… por fim […] encontrar-se com o herói da narrativa que pernoita no largo do edifício da câmara municipal.

 Quais os principais desafios para a escrita do enredo que compõe a obra?

José Roque – Eleger, na construção do texto, um sem-abrigo para herói da narrativa, à primeira vista é recear que é aposta no cavalo que vai perder, tanto mais, colocando-o a correr numa competição de natureza política. Ou então, é começar sem saber como acabar. O desafio é fazer dele um vencedor ainda que perdedor neste ou naquele momento ou circunstância, sustentá-lo como herói até ao fim de modo credível e com coerência necessária.

Desafio é também procurar uma dinámica do texto de modo a manter o interesse e o investimento na leitura.

O salpico humorístico procura compensar a seriedade da interpelação política que chega a ser abrasiva […] digo eu […]. 

Desafio é ainda o de garantir um compromisso estético na produção narrativa […]. Há que conferir com o leitor o que é leitura pelo autor da sua própria escrita.

 

Descreva o livro em duas palavras

José Roque - Acreditar e resistir.

 

Cinco motivos para ler “Sonhar com Força”: 

Tem humor e diversão 

(… Presumo que ele deve ter ficado furioso que nem um presidente de câmara atingido com caca de pombo…)

Tem ação 

(… juntando e distribuindo cornada, coice, trombada que afronta, vinga, varre, afasta e liberta…)

Tem drama 

 (... Vive! Vive, por favor! Suplica-lhe a tremer, a rechinar por dentro e por fora de aflição…)

Tem contundência política 

 (… Basta corrigir o que falha na Democracia que temos, e não perderemos mais tempo …)

Tem mensagem com conteúdo 

 (… Tomanico, graduado em capitão da utopia próxima da realização, tornou-se, pois, tão popular quanto o pai...)

 

Onde podemos comprar seu livro? 

Chiado Editora

https://www.chiadoeditora.com 

Email

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Soube que temos livro novo no prelo. Conte-nos quais os novos projetos literários do autor José Manuel Ferreira Roque.

José Roque - No prelo está “Casa das Penas”.

É uma narrativa sobre o mumdo prisional em que é abordado o tratamento penitenciário e as interações entre os diferentes atores.

 

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor José Manuel Ferreira Roque. Agradecemos sua participação na Revista Divulga Escritor. Que mensagem você deixa para nossos leitores?

José Roque - Aos leitores e a todas as pessoas que prezam a arte literária e amam o livro deixo como encorajamento a frase bíblica: Crescei e multiplicai-vos!

 

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

Divulga Escritor, unindo Você ao mundo através da Literatura

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Vídeo em Destaque

linkedin

Em destaque

logo com o ISSN

Recanto da Lusofonia logomarca

Editoras - Portugal

Editoras - Brasil

 

 

 

 Renova Livro carto

 

 

Portal Literário - Um Mundo literário ao seu alcance

 

Autor parceiro
Tito Mellão Laraya

 Imagem Tito Laraya