Matemático, Michel Ibrahim Khouri Filho, se destaca através da arte literária

Michel Ibrahim Khouri Filho, brasileiro, casado, professor de matemática, formado na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Guarulhos(aposentado), nascido em São Paulo no Bairro do Tatuapé nesta Capital, Gosta de escrever desde a infância, ocasião que compunha versos e pequenos contos.

 

O autor possui 7 livros publicados - Vozes de Minh'alma, A dança da borboleta, Terra Roxa, Coriscos no Céu, A Ilha do sol, Fúria Negra, O Monge dos Diamantes.

Tem como objetivo atual sobreviver daquilo que escreve.

 

“Procurem obras de escritores brasileiros, você há de verificar a existência de centenas deles que escrevem bem, no entanto permanecem no anonimato por muito tempo.”

 

Boa Leitura!

 

 

Escritor Michel Ibrahim Khouri Filho é um prazer contar com a sua participação na revista Divulga Escritor, conte-nos o que o motivou a ter gosto pela escrita literária?

Michel Filho - Lembro-me que em minha tenra infância, eu e meus irmãos, com apoio de minha mãe, pedíamos a meu pai nos contasse uma história. Ele tinha uma habilidade sem precedentes em fazer isso, e o conto nos prendia por vários dias, porque era contada em capítulos, à noite, antes de nos recolhermos. Ele tinha a nacionalidade libanesa e nos contava às histórias que ouviu quando muito menino, na escola onde ficou internado, a guerra o tornou órfão muito cedo, com nove anos aproximadamente. Minha mãe, descendente de portugueses, tinha o mesmo hábito, contava histórias que ouvia de seus avós. Assim, crescemos eu e meus irmãos, dentro deste clima, que muito certamente influenciou na minha vontade de escrever histórias e na de meu irmão, A. Ibrahim Khouri, um excelente poeta, também com vários livros editados.

 

O que o encanta nos romances e aventuras que escreves?

Michel Filho - O que mais me encanta, seja um romance ou aventura é ver a história começar a ganhar corpo. Quando escrevo, deixo a imaginação fluir e me limito a escrever o que estou imaginando naquele momento, começo a perceber que a certa altura devo dar um direcionamento a história, cujo título, não rara as vezes , já o tenho na cabeça e começo fazer com que o título e a história viagem lado a lado.

 

Conte-nos qual o livro que demorou mais tempo para ser escrito e publicado?

Michel Filho - Todos os sete livros que tenho editado, a saber: A Dança da Borboleta, Coriscos no Céu, Terra Roxa, A Ilha do Sol e Vozes de Minh’alma, mais os seis que tenho para editar, giram em torno de mais ou menos cento e trinta páginas, porque acredito que um livro não deve ter um número muito reduzido de páginas, por não ter a necessária habilidade em dar corpo a história e conseguir termina-la de forma conveniente, quero dizer, não gostaria de termina-la de forma abrupta, nem tampouco, muito longo, com número excessivo de páginas, tendo em vista, ter que se alongar muito do meio do livro para o seu término, fugindo um pouco da sequência e objetividade, tornando-o cansativo. Assim, quase todos tem o mesmo número de páginas e o mesmo tempo, com mínimas diferenças. Quanto à publicação, como dependem de oportunidades, ou recursos próprios é de tempo incerto.

 

Quais os principais desafios para construção do enredo que compõe os seus livros?

Michel Filho - Quando começo a escrever um livro, não tenho ainda nada em mente,  deixo a imaginação conduzir a pena e só vou me preocupar com o enredo quando percebo que a história está querendo tomar corpo, ai então, vou conduzindo, dando rumo a ela e pensando no título, ou tendo o título na mente, procuro montar a história no entorno dele.

 

Qual o livro que demorou menos tempo para ser escrito e publicado?

Michel Filho - O livro que mais rápido foi escrito, tem por título Terra Roxa, tinha na época, a história baseado na minha infância numa pequenina cidade do interior, morei lá por um pequeno espaço de tempo, onde havia uma capela nos moldes da história e um padre que aos domingos, se deslocava da cidade vizinha e vinha rezar a missa, onde eu e meu irmão nos dispúnhamos a tocar o sino da capela, convocando os moradores. Baseado nestes fatos e outros coincidentes com a história, não foi difícil imaginar o resto da história. Não demorou muito para em negociação com a Editora, conseguisse publicá-lo.

 

O que o motivou a escrever de forma mais intensa do que os demais livros escritos?

Michel Filho - De todos os livros escritos, o que mais me envolvi foi Terra Roxa, o escrevi pensando em minha infância, com tudo que me cercava, a lembrança da pequena capela, onde eu tocava o sino chamando os moradores do lugar, a paisagem bucólica, a pequenina estação de trem, onde duas vezes por dia parava um trem de passageiros, uma pela manhã e outra no início da noite.

 

O que mais o encanta em seu primeiro livro escrito “A Dança da Borboleta”?

Michel Filho - O primeiro livro, A Dança da Borboleta escrevi com ansiedade e certo encanto; a inexperiência me fez refazer, várias vezes, folhas inteiras e quantas vezes, abandonei tudo que havia escrito para recomeçar. A emoção do primeiro livro escrito foi um marco para mim, a satisfação tomou conta de tudo... Depois de algum tempo, relendo achei que precisava rever algo ou mudar alguma coisa aqui e ali... Ia fazê-lo, não fosse à intervenção de um amigo pintor, que me disse que escrever era como pintar, enquanto você não entregar a sua obra, verá sempre a necessidade de um retoque aqui, ali... Acolá. Não mexa mais nessa história, escreva outra, a sensação vai ser sempre a mesma.

 

Qual o livro com maior número de vendas?

Michel Filho - A dança da Borboleta, Coriscos no Céu, Terra Roxa e A Ilha do Sol, foram editados ao mesmo tempo e muito recentemente, não se destacando um ou outro volume, pequenas diferenças apresentam no número de vendas de cada um desses títulos.

 

De forma geral qual a mensagem que deseja transmitir ao leitor por meio do enredo que compõe seus livros?

Michel Filho - Em todos os livros que escrevo, gosto de mexer com o imaginário do leitor a história termina de uma determinada forma, mas dou margem ao leitor, para que a imaginação dele termine a história. A mensagem a ser transmitida, cada volume encerra uma diferente; alguns títulos a mensagem é explicita, em outros, bem complexa.

 

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor Michel Ibrahim Khouri Filho. Agradecemos sua participação na Revista Divulga Escritor. Que mensagem você deixa para os nossos leitores?

Michel Filho - Gostaria que as pessoas se dedicassem mais a leitura, conhecessem melhor os escritores brasileiros, lhes dessem mais crédito. Procurem obras de escritores brasileiros, você há de verificar a existência de centenas deles que escrevem bem, no entanto permanecem no anonimato por muito tempo. Gostaria de receber dos meus leitores, opiniões sobre a obra lida, para tal, utilize meu email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.,o qual consta na ficha técnica de todos os livros. Sabemos que no Brasil, o número de leitores é muito reduzido, mas gostaríamos que estes fãs da leitura incentivassem outros a ler, assim, demoraria menos para que o Brasil alcançasse um número conveniente de leitores de todo tipo de obra, para que a população tivesse um grau de cultura mais elevado. Com toda certeza, todos nós seriamos beneficiados.

 

por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

Divulga Escritor unindo Você ao Mundo através da Literatura

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

                 

 

linkedin

Em destaque

logo com o ISSN

Recanto da Lusofonia logomarca

Editoras - Portugal

Editoras - Brasil

 

 

 

 Renova Livro carto

 

 

Portal Literário - Um Mundo literário ao seu alcance

 

Autor parceiro
Tito Mellão Laraya

 Imagem Tito Laraya