Ariano Suassuna apresentado pela pesquisadora Ivana Lopes

 ARIANO SUASSUNA - o talentoso escritor, dramaturgo e poeta nordestino, um grande defensor da cultura popular brasileira
Ariano Suassuna foi dramaturgo, escritor, poeta, professor e advogado. Nasceu na cidade de Nossa Senhora das Neves, hoje João Pessoa, a capital da Paraíba, filho de João Suassuna, ex-governador do estado e de Rita de Cássia Villar.
Quando Ariano tinha apenas três anos de idade seu pai foi assassinado por motivos políticos. Então ele, a mãe e os irmãos se mudaram para Taperoá, sertão da Paraíba, no sítio Acauã, onde o escritor passou sua infância.
Foi ali que pela primeira vez, Ariano Suassuna teve contato com a cultura popular nordestina ao assistir o “teatro de mamulengos”, um teatro de bonecos feito por artistas do povo, de improviso, sem roteiro onde o povo participa ativamente, interagindo com os artistas, sendo que os diálogos são criados na hora do espetáculo. Além do contato com os mamulengos, Suassuna presenciou ali os desafios de viola. Essas manifestações do folclore nordestino com certeza encantaram o menino e influenciaram  profundamente toda a obra do escritor, que iria ser escrita mais tarde.
Ariano Suassuna imagem IvanaNa adolescência Ariano Suassuna se mudou novamente com a família indo morar no Recife, lá estudou no Ginásio Pernambucano e depois no Colégio Oswaldo Cruz. Em 1946 ele entrou para a Faculdade de Direito de Recife  e foi na faculdade que Ariano conheceu  e conviveu com escritores, atores, poetas, artistas e pessoas interessadas em literatura. Juntamente com um amigo ele fundou o Teatro de Estudantes de Pernambuco. Ariano se formou em direito em 1950, depois cursou Filosofia concluindo  essa graduação em 1964. Seu primeiro trabalho publicado foi “Noturno”  em 1945 no Jornal do Comércio do Recife. Sua primeira peça de teatro foi “Uma mulher vestida de sol” premiada  em 1948.
Ariano se casou no final dos anos 50. Ele e a mulher Zélia tiveram seis filhos. Em 1970 Suassuna criou o ”Movimento Armorial” para divulgar e valorizar a cultura nordestina, com sua literatura de cordel, sua música, seu teatro e dança. Além da valorização da cultura popular, esse movimento, tinha por objetivo misturar o popular ao erudito, levando o erudito ao povo sem desvalorizar a sua cultura, ele sabia do grande valor que possui a arte popular, que vem espontaneamente do povo, a intenção era de enriquecer a cultura através dessa mistura. Esse movimento recebeu o apoio de escritores e intelectuais da época.
O escritor e dramaturgo Ariano Suassuna foi um dos grandes responsáveis pela modernização do teatro brasileiro. Uma das características marcantes de suas obras teatrais é o improviso com textos populares repletos da cultura nordestina.
Um de seus trabalhos mais famosos é “Auto da Compadecida”, escrito em 1955 e que fez muito sucesso ao ser  adaptado para o cinema e para a TV  e o tornou conhecido em todo o país. A versão para a TV teve no elenco Fernanda Montenegro, Selton Melo, Mateus Nachtergaele e Marco Nanini entre outros. O estílo do escritor Ariano Suassuna é calcado na cultura popular, seus textos são cheios de humor, denunciam a corrupção, a hipocrisia, o preconceito, o falso moralismo fazendo uma crítica da sociedade brasileira.
Em 1948 ele lançou “A Pedra do Reino”. As obras “O Santo e a Porca” e “Casamento Suspeitoso” foram publicadas em 1957. Esses são só alguns exemplos de seus trabalhos, sua obra é bem vasta.
Em agosto de 1989 o escritor, dramaturgo e poeta passou a ocupar a cadeira nº 32 da Academia Brasileira de Letras. Em 1993 foi eleito para a Academia Pernambucana de Letras e no ano 2000 entrou para a Academia Paraibana de Letras.
Em 23 de julho de 2014 o escritor faleceu no Recife vítima de um AVC.
Ariano Suassuna foi antes de tudo um nordestino. Um escritor, dramaturgo e poeta muito talentoso que amava o seu país, um patriota, que se orgulhava de ser nordestino e brasileiro e que defendia com unhas e dentes a nossa cultura, a nossa língua e a nossa gente. Não se cansava de denunciar em suas entrevistas e palestras o malefício que representava e representa a imitação caricata de outras culturas pelo nosso povo. Em todo o seu trabalho retratou a cultura popular genuinamente brasileira defendendo que uma nação precisa conservar a sua identidade mesmo que naturalmente receba influências de culturas externas, a cultura de um povo, produzida por ele é seu bem mais precioso.
Por ser um grande escritor que soube “dialogar” tão bem com o povo em seu texto, e retratá-lo com tanta fidelidade, respeitando e valorizando tanto a cultura popular, o nordeste e o Brasil, Ariano Suassuna merece ser conhecido, lido e assistido nos palcos de teatro por todos nós brasileiros, que precisamos aprender a valorizar mais o que é nosso, antes de achar que só o que vem de fora é bom, precisamos conhecer melhor nossos talentos, nossos escritores, nossos artistas, e nossa própria cultura, prestigiar, conhecer e divulgar nossos valores, como fez um dia o próprio Suassuna, afinal uma grande nação é formada por pessoas que construíram uma identidade como povo, que partilham da mesma cultura e dos mesmos ideais e que se orgulham disso.
 
 
Fontes de Pesquisa:
www.pensador.uol.com.br
www.infoescola.com/escritores/ariano-suassuna(Ana Lucia Santana)
www.ebiografia.com/ariano_suassuna
www.educacao.globo.com/literatura
Foto: www.pensador.uol.
 
 

Vídeo em Destaque

linkedin

Livraria em destaque

Editoras - Portugal

Editoras - Brasil

 

 

 

 

 

Portal Literário - Um Mundo literário ao seu alcance